1) Nos pagamentos com cartão de crédito, é importante conferir a identidade do cliente?

Por precaução, sempre se deve solicitar ao cliente documento de identificação com foto para confirmação da titularidade do cartão. O direito de utilização do cartão de crédito por seus titulares é intransferível e a divulgação da senha do cartão a outras pessoas pode implicar em reconhecimento de culpa por parte do cliente pelo uso indevido do cartão. Além disso, enquanto o funcionário do estabelecimento estiver na posse do cartão de crédito do consumidor para operacionalizar o pagamento, é imprescindível que execute todos os procedimentos na presença do cliente, esclarecendo todos os passos (digitação do valor, senha, confirmação, impressão do comprovante...) evitando dúvidas ou suspeitas desnecessárias.

2) O empresário deve se preocupar com as características do cartão, assinatura ou validade?

Sim. É aconselhável que o empresário verifique atentamente as características externas do cartão, tais como similitude com o modelo padrão, ausência de sinais de adulteração, entre outros. E, no caso de cartões cujo comprovante requer assinatura do cliente, é necessário ainda conferir se a assinatura é similar à aposta no verso do próprio cartão. E, como medida de prudência, sugere-se, ainda, que sempre seja conferida a data de validade do cartão de crédito.

3) Os comprovantes da venda e entrega de mercadorias podem auxiliar nos casos de dúvida?

Bastante. Para evitar problemas futuros, o estabelecimento deve manter em dia a documentação que comprova as vendas efetuadas via cartão, bem como a entrega adequada dos produtos comercializados (esta última, principalmente em caso de compras efetuadas fora do estabelecimento). Tais cuidados são importantes, pois a Credenciadora do Cartão de Crédito pode solicitar o envio dos comprovantes para verificação dos casos em que o consumidor contesta o pagamento.

4) Funcionários, colaboradores e supostos “técnicos” podem ser agentes executores de fraudes relacionadas a cartão crédito?

Como frequentemente noticia a Imprensa, boa parte das captações não autorizadas de informações sobre determinado cartão de crédito ocorre dentro do próprio estabelecimento comercial, sem que o empresário saiba disso. O ilícito geralmente ocorre pela ação de pessoas mal intencionadas (colaboradores, funcionários ou “falsos técnicos”) que se aproveitam do acesso fácil ao equipamento da loja e/ou cartões dos consumidores para captar, indevidamente os dados do cartão. Isso pode ocorrer, por exemplo, através da utilização de equipamentos para copiar os dados. Exatamente por essa razão, o empresário deve ficar sempre alerta com relação a atuação de sua equipe e de terceiros.

5) Como evitar o sucesso de fraudes através de investidas de pessoas mal intencionadas?

Para evitar o sucesso deste tipo de ação (que na maioria das vezes tem por trás uma quadrilha organizada para praticar fraudes) é muito importante que o empresário: Oriente e fiscalize os procedimentos de seus funcionários e colaboradores com relação aos pagamentos com cartão: as ações devem ser feitas apenas na presença do cliente. O funcionário ou colaborador jamais deve locomover-se no estabelecimento, portando o cartão de crédito, para locais distantes do campo de visão do consumidor. Nunca dê acesso aos equipamentos de sua loja a representantes da assistência técnica cuja identificação não seja minuciosamente conferida. Exija a exibição da ordem de serviço e em caso de visitas não solicitadas, confira junto às empresas parceiras se o técnico realmente tem autorização para executar as providências que informa serem necessárias. Procure entender todas as modificações executadas por técnicos ou colaboradores em seu equipamento. Em caso de dúvidas ou suspeitas, retire o equipamento de uso e comunique o quanto antes a Fornecedora.

6) O consumidor pode ajudar a prevenir fraudes com cartão?

Claro! Sugira que seus clientes sempre acompanhem atentamente todos os procedimentos relacionados ao pagamento com cartão, principalmente as ações relacionadas à digitação de senhas. Mantenha canal de comunicação com a gerência do estabelecimento sempre acessível para envio de dúvidas e sugestões dos clientes. Jamais incentive a divulgação de dados/entrega do cartão ou senhas a funcionários e colaboradores e esclareça a todos sobre a importância do papel de cada um na prevenção a fraudes.